Menu

Gatos, Adoção Consciente

sexta-feira, 5 de junho de 2015
Diariamente vemos nas redes sociais dezenas de gatinhos sendo compartilhados, esperando por adoção, da mesma forma que vemos dezenas de instituições, ONGs e até mesmo protetores/cuidadores pedindo ajuda para seus bichinhos resgatados. Fica dificil saber quem faz um trabalho sério e quem apenas quer se aproveitar da popularidade dos felinos para levantar uma grana extra.

Desde a semana passada estou acompanhando o caso de uma mulher de Campinas que até me ofereci para compartilhar sua história, para conseguir mais ajuda, já que ela dizia ter 80 gatos em casa sob seus cuidados e precisava mudar de casa com urgência, inclusive já teria sido até despejada e não tinha para onde ir com tantos gatos.

Claro que eu questionei, como alguém que não tem uma residencia fixa pode adotar tantos gatos, eu tenho dois e eles fazem toda a diferença na escolha do imóvel a ser locado, uma série de itens precisam ser observados e regularizados para que eles fiquem bem. Muita gente pode me condenar mas é como ter filhos de 3 ou 4 anos a vida toda.
Resumindo a história, hoje fiquei sabendo que a tal cuidadora era uma estelionatária, que todos os gatinhos estavam debilitados, sujos, com pulgas, vermes, pior que se estivessem na rua. Uma ONG os resgatou e não eram apenas 80, haviam 110 gatos, muitos nem eram castrados ainda.
Neste link tem mais informações sobre o ocorrido  .
Fato é que são casos como esse que fazem com que muitas pessoas deixe de ajudar, se a pessoa em questão é acumuladora ou mal intencionada não se sabe, não vou julgar, me preocupo apenas com os gatos, gostaria de adotar mais alguns, mas como já pesquisei muito sobre seus cuidados e moro em apartamento alugado sei que agora o melhor que posso fazer é cuidar de longe.
Antes de adotar um gatinho, é bom observar o espaço que ele terá para brincar, onde ficará a caixa de areia, como vai impedir que ele vá para a rua, qual a melhor ração, um bom veterinário, vacinas, castração e vermífugos. Isso só para começar.

A Mia foi encontrada numa sacolinha de lixo na calçada e alguns minutos mais ela não estaria aqui. Claro que assim no susto fomos nos virando com o que tinha, somente no outro dia que conseguimos ir até um Pet Shop e providenciar tudo o que precisava, a compra até que não ficou cara e durou mais de um mês, também tive sorte de encontrar uma excelente veterinária que me atendia em casa e com preços justos.

Foi ela quem me trouxe o Vincent, como os vizinhos sabem que ela cuida, soltam filhotes em frente a sua casa, ela por sua vez cuida e os encaminha para adoção. Infelizmente ainda tem muita gente sem noção que apenas larga os bichinhos para serem encontrados por quem chegar primeiro, muitos não tem tanta sorte e acabam morrendo, de fome, de frio ou pela maldade das pessoas. Eu acho que já disse um milhão de vezes, ninguém é obrigado a gostar de gatos, mas é obrigado a respeitar, não precisa cuidar, só de não maltratar já é uma grande evolução para o ser humano. 
Ainda mais que agora é lei. 
Os dois foram vacinados, castrados, medicados, usam anti-pulgas, tem a melhor ração todos os dias, e duas vezes na semana tem a ração úmida que eles adoram e já esperam ansiosos pela próxima porção.
O apartamento que eu morava era telado, quando me mudei precisei telar o novo apartamento, esse foi o maior gasto que tive, De qualquer forma tenho filhos pequenos e teria que telar, então nem coloco na conta dos gatos.
Ter uma caixa para transporte também é fundamental, é impossível levar um gato para qualquer lugar solto no carro.
Um gato pode viver mais de 15 anos, é um ser vivo, não pode esquecer de cuidar igual se cuida de uma criança.

Gatos são uma delicia, e assim como a gente cada um tem um temperamento diferente, a Mia é uma lady, já o Vincent é um psicogato. mudei muita coisa na decoração e até hoje não posso dar bobeira porque ele pensa que é cachorro, carrega tudo para um cantinho para brincar depois.
E talvez o mais importante, tenha consciência que nunca, jamais um gato depois de adotado poderá ser abandonado. Um gato solto na rua, principalmente depois de castrado e de uma temporada dentro de casa é alvo fácil. Além de todas as dificuldades, da maldade das pessoas que atropelam, chutam,envenenam, arremessam contra muros, pisam e todo tipo de horror, tem os cachorros, as quedas de muros e telhados, os insetos, os ratos envenenados, outros gatos... E nem invente em devolver o bichinho porque vai mudar, viajar ou qualquer outra coisa, eles tem sentimentos, sentem a falta dos donos e morrem também de depressão.
Leu tudo isso e percebeu que pode adotar e quer adotar um gato?
Vou deixar os links aqui de lugares que tem vários gatinhos disponíveis para adoção, inclusive os de Campinas.

Agora, se depois de ler você percebeu que não tem como adotar um gato, por qualquer motivo que seja, mas gostaria de pelo menos ajudar de alguma forma, os mesmos links são de locais que precisam de ajuda, não só de doações em dinheiro, mas também de voluntários para limpar, brincar e cuidar dos gatinhos. Será que você não tem um dia livre no mês para ajudar uma instituição dessas?

Adote um gatinho. 

Eu Amo Gatos 

CatLand 

SOS Gatinhos

Os Gatos Da Vida Nova Por Uma Nova Vida


Esses são alguns exemplos em São Paulo, se você sabe de outros locais deixe o link nos comentários, marque uma entrevista, denuncie maus tratos, ensine as crianças a cuidarem e respeitarem os animais.





Nenhum comentário

Postar um comentário

 
Desenvolvido por Michelly Melo.